Marrafon: assumir vaga é fundamental para emendas a MT

O candidato a reeleição para deputado federal Marco Marrafon (Cidadania) está aguardando a convocação da mesa diretora da Câmara Federal para assumir a vaga de Neri Geller (PP), que teve recurso negado nesta quinta-feira (29), pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou seu mandato no fim do mês de agosto. A celeridade na posse é essencial visto que no próximo mês já começam as discussões referentes à Lei Orçamentária Anual (LOA).

Marrafon explica que por conta do período eleitoral os ritos para a posse não foram feitos pela Câmara Federal, mas que o Tribunal Superior Eleitoral determinou que isso seja executado de forma imediata. “Passando o primeiro turno das eleições neste domingo (2), a mesa diretora da Câmara deve ser convocada. Mato Grosso não pode ficar sem um de seus representantes em Brasília”, afirma.

Dessa forma, a expectativa é de que ele assuma a cadeira já na próxima semana, logo que o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (PP) convocar a substituição. Assim que for empossado, o advogado irá iniciar as articulações para conseguir destinar recursos para os projetos que ele tem já inclusive referendado, um deles referente a educação integral plena tecnológica para os estudantes mato-grossenses.

Outro projeto defendido são as creches em tempo integral, que permite que as mães trabalhem durante o dia com tranquilidade, sem estar preocupadas com a segurança dos filhos. “É preciso aumentar o número dessas instituições e ampliar o tempo de atendimento. Mudanças que precisam de emendas parlamentares e nós vamos estar em Brasília isso”, reforçou

Marrafon, já foi diplomado deputado federal, mas aguarda a Câmara Federal dar posse para que ele conclua o mandato até 31 de janeiro. Isto porque, com a cassação do deputado Neri Geller (PP), o advogado é quem acabou tendo direito à cadeira de parlamentar após a recontagem de votos feita pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) realizada no mês passado.

Ex-secretário de Estado de Educação, Marrafon destaca que apesar de ter sido pego de surpresa com a possibilidade de assumir o cargo, o momento é oportuno e ocorre a tempo de que ele participe da formatação do orçamento da União. “Esse é um momento importante, porque os parlamentares têm a chance de ajudar a estabelecer os parâmetros para a aplicação de recursos do Governo Federal para o ano de 2023”.

Fonte: MidiaNews