Altas temperaturas podem causar dilatação nas artérias

 

Com as altas temperaturas, hipertensos e cardiopatas que utilizam medicamentos vasodilatadores devem ficar atentos para evitar eventuais crises de pressão baixa, já que o problema pode desencadear não só tontura ou vista embaçada, mas também desmaios e até distúrbios nas artérias coronárias.

Geralmente nas épocas mais frias do ano, é preciso redobrar a atenção com a saúde cardíaca. Mas não se pode ignorar as consequências das altas temperaturas. O cuidado com o coração também é indispensável.

Leia Também:


– Dia nacional de combate a hipertensão arterial

– Dieta saudável pode salvar seu coração

– Consumir chocolate pode ser bom para seu coração

– Covid-19 e os “estragos” que ela causa no organismo

– Como os alimentos podem ajudar o cérebro e o coração

– Janeiro Branco: mês destinado a pensar como anda sua saúde mental
– Crise climática e controle externo

– Você já ouviu falar no “coração de atleta”?

– Quais as causas do desmaio ou síncope?

– O que disfunção erétil tem a ver com problema cardíaco?

– Você sabia que uma crise de ansiedade pode ser confundida com um infarto?

– A relação entre Covid-19 e a parada cardíaca

– O que uma suplementação errada pode fazer com seu coração?

– Do que cuida a Cardioocologia?

– Seu estado psicológico pode influenciar a saúde do seu coração

– Corpos não mentem

– Autismo na pandemia

– Esteja no comando – não seja vítima do seu emocional

 

No calor é natural que as artérias fiquem mais dilatadas e ofereçam mais espaço para que o sangue circule entre elas. Portanto, hipertensos e cardiopatas que utilizam medicamentos vasodilatadores devem ficar atentos para evitar sofrer eventuais crises de hipotensão, ou pressão baixa, como dizemos popularmente, já que o problema pode desencadear não só tontura ou vista embaçada, mas também desmaios e até distúrbios nas artérias coronárias.

O primeiro passo para evitar queda de pressão, entre os pacientes que necessitam de vasodilatadores, é passar por uma reavaliação médica.

Pacientes idosos são mais sensíveis às mudanças de temperatura do que os mais jovens. Porém, uma consulta é fundamental em ambos os casos, já que, dependendo do problema, pessoas mais novas talvez precisem alterar o tipo de medicação que utilizam também.

Inclusive é muito importante ressaltar que qualquer mudança na ingestão de um determinado tipo de medicamento deve ser sempre prescrita por um médico, após a realização de todos os exames necessários e, nunca, por conta do próprio paciente.

Um outro fator capaz de interferir na pressão arterial durante o calor é a desidratação. Em dias quentes o corpo perde uma grande quantidade de líquido e sais minerais. Quando essas substâncias não são repostas adequadamente, o organismo tem dificuldade para funcionar, o que resulta em cansaço excessivo e também em queda de pressão.

Para evitar esse quadro, é fundamental repor as perdas geradas pelo suor por meio da ingestão constante de água, sucos naturais e, com a devida orientação médica, bebidas isotônicas. sugere.

Vale lembrar que o consumo de comida gordurosa também deve ser evitado nesta época do ano. Isso porque alimentos desse tipo contribuem para que o fluxo sanguíneo fique concentrado no sistema digestivo, o que pode gerar insuficiência circulatória em outras regiões do corpo e uma bela congestão.

 

*MAX WAGNER DE LIMA  é médico, especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso (SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida, Saúde e Diagnóstico.

(CRMT 6194)

CONTATO:                         www.facebook.com/maxwagner.delima

E-MAIL:                               maxwlima@hotmail.com