Falta de vacina contra covid impede imunização de crianças de 3 e 4 anos em Cuiabá

Em 13 de julho a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso emergencial da vacina Coronavac em crianças de 3 e 4 anos de todo o território brasileiro. Cerca de uma semana depois, o Ministério da Saúde divulgou uma Nota Técnica com as orientações sobre a vacinação deste grupo e os municípios que ainda possuíam estoques de Coronavac deram início à imunização das crianças.

Em Cuiabá não foi possível começar a imunização desta faixa etária, visto que a capital não tem mais doses do imunizante. “A última remessa de Coronavac que Cuiabá recebeu foi em 12 de julho, num total de apenas 500 doses. Elas foram usadas para completar o esquema vacinal das crianças acima de 5 anos que já tinham tomado a primeira”, explicou Valéria de Oliveira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

Valéria revelou que a capital mato-grossense ainda possui estoque de Pfizer pediátrica, para crianças de 5 a 11 anos. “A vacinação das crianças começou em janeiro deste ano e ainda assim não conseguimos alcançar 50% grupo de 5 a 11 anos com a primeira dose. O grupo de 5 a 11 anos em Cuiabá é composto por 60.659 crianças e foram vacinadas 47,5% com a primeira dose e 28% com a segunda”, comentou.

A coordenadora disse que, tão logo Cuiabá receba as doses de Coronavac, a vacinação das crianças de 3 e 4 anos terá início. “Atualmente temos 13 locais de vacinação infantil, espalhados por todas as regionais da cidade, inclusive na regional rural. Assim que recebermos a Coronavac, começaremos imediatamente a imunização deste grupo. Aproveito para pedir que os pais que não levaram ainda suas crianças a partir dos 5 anos para receber a dose da vacina, que o façam o quanto antes. As vacinas são seguras e graças a elas estamos vencendo a pandemia”, concluiu.