Chapecoense segura pressão e tira 100% de aproveitamento do Cruzeiro como mandante

Tudo igual no estádio Mané Garrincha, em Brasília, para Cruzeiro e Chapecoense. Empate por 1 a 1, com o gol catarinense marcado por Felipe Ferreira, no primeiro tempo, e a igualdade celeste conquistada pelo time celeste com Lucas Oliveira. A partida na capital federal teve mando do Cruzeiro, que não jogou no Mineirão em função de um evento musical no estádio.

Como fica?

Com o resultado, o Cruzeiro chegou a 53 pontos. Líder absoluto e manutenção da distância de 19 pontos sobre o Londrina, primeiro time fora do G-4. A Chapecoense briga do outro lado da tabela. O time catarinense agora soma 26 pontos, abrindo três para a zona de rebaixamento, na 15ª colocação.

Primeiro tempo

O Cruzeiro tomou as ações desde o primeiro minuto, mas a Chapecoense foi fatal na sua primeira descida. Logo aos cinco minutos, Felipe Ferreira finalizou de fora da área e abriu o placar. O restante da primeira etapa foi praticamente todo no campo do time catarinense. O Cruzeiro roubava muitas bolas no ataque, mas com dificuldades para criar chances claras. O maior susto foi em cruzamento de Bruno Rodrigues, interceptado por Saulo com saída providencial do gol. Lucas Oliveira, Luvannor e Daniel também incomodaram de fora da área. Bidu obrigou Saulo a defender um cruzamento desviado. Mas nada de gol.

Segundo tempo

O cenário se manteve na segunda etapa. Com dois minutos, Saulo já tinha feito duas defesas, em chutes de Wesley Gasolina e Chay. Aos três, o goleiro saiu mal do gol em escanteio, e Lucas Oliveira empatou. A virada quase chegou aos cinco e aos seis, com Wesley e Bruno Rodrigues, ambos parados por Saulo. Zé Ivaldo também assustou em cabeçada. A Chapecoense deu trabalho com Matheus Bianqui, que parou em Rafael Cabral. O ritmo do jogo diminuiu depois dos 25 minutos. O Cruzeiro tentou a virada em arremates de fora da área, e a Chape buscava explorar os contra-ataques, mas ambos sem sucesso. Edu e Rodolfo ainda desperdiçaram chances em cruzamentos.

Lucas Oliveira, do Cruzeiro, comemora gol diante da Chapecoense

Lucas Oliveira, do Cruzeiro, comemora gol diante da Chapecoense (Foto: Cruzeiro)

Novo manto

O jogo em Brasília marcou a estreia do terceiro uniforme do Cruzeiro para a temporada. A cor é predominantemente amarela, seguindo tradição recente em anos de Copa do Mundo, mas também em alusão aos 200 anos da Independência do Brasil. O short e os meiões usados com a nova camisa são azuis e com detalhes em amarelo.

Nova camisa do Cruzeiro para 2022

Nova camisa do Cruzeiro para 2022 (Foto: Staff Images)

Fim da campanha 100%

Depois de conquistar 11 vitórias em 11 jogos, o Cruzeiro perdeu os 100% de aproveitamento na condição de mandante nesta Série B do Campeonato Brasileiro. Vale lembrar que, pela primeira vez, jogou nessa condição fora de Belo Horizonte. O time de Paulo Pezzolano segue como melhor mandante da competição, com 34 pontos somados em 36 possíveis. A Chapecoense é o segundo melhor visitante do torneio, com 18 pontos conquistados em 13 partidas.

Cruzeiro e Chapecoense terão a semana inteira para descanso e trabalho. No sábado, a equipe catarinense jogará em casa, contra o Brusque, às 16h30 (de Brasília). O Cruzeiro visita o Grêmio, domingo, 16h, em Porto Alegre. Ambos os duelos são válidos pela 25ª rodada da Série B do Brasileiro. (GE)